Nenhuma idéa brilhante


Nenhuma idéa brilhante (intelligente) consegue entrar em
circulação (acceitação) se não aggregando
(emquanto não aggregar) a si qualquer elemento de estupidez.
O pensamento collectivo é estupido porque é collectivo: nada
passa as barreiras do collectivo sem deixar nellas, como
real de agua, a maior parte da intelligencia que traga com-
sigo.

Na mocidade somos dois: ha em nós a coexistencia da nossa
intelligencia propria, que pode ser grande, e a da estupidez
da nossa inexperiencia, que forma uma segunda intelligencia
inferior. Só quando chegamos a outra edade se dá em nós a
unificação. De ahi a acção sempre fruste da juventude — de-
vida, não à sua inexperiencia, mas á sua não-unidade.

Ao homem superiormente intelligente não resta hoje outro
caminho que o da abdicação.


Identificação: bn-acpc-e-e3-133f-1-100_0161_79_t24-C-R0150
Heterónimo: Não atribuído
Formato: Folha (23.3cm X 20.7cm)
Material: Papel
Colunas: 1
LdoD Mark: Sem marca LdoD
Datiloscrito (black-ink) : Testemunho datiloscrito a tinta preta.
Nota: , Texto escrito no verso de uma folha de papel timbrada "(CONFIRMATION | of a telegram sent on the..... VIA RADIO DIRECTA)".
Fac-símiles: BNP/E3, 133F-79r.1


Edições Virtuais