[CÓDIGO DE INÉRCIA] Três coisas tem o homem superior


Três coisas tem o homem superior que ensinar-se a esquecer para que possa gozar no perfeito silêncio a sua superioridade: o ridículo, o trabalho e a dedicação.

Como não se dedica a ninguém, também nada exige da dedicação alheia. Sóbrio, casto, frugal, tocando o menos possível na vida, tanto para não se incomodar como para não aproximar as coisas de mais, a ponto de destruir nelas a capacidade de serem sonhadas, ele isola-se por conveniência do orgulho e da desilusão. Aprende a sentir tudo sem o sentir directamente, /porque sentir directamente / é submeter-se à acção da coisa sentida.

O maior triunfo do homem é quando se convence de que o ridículo é uma coisa sua que existe só para os outros e, mesmo, sempre que outros queiram. Ele então deixa de importar-se com o ridículo que, como não está em si, ele não pode matar.


Título: [CÓDIGO DE INÉRCIA] Três coisas tem o homem superior
Heterónimo: Vicente Guedes
Número: 103
Página: 112
Nota: [138-91, ms.];
Nota: Teresa Sobral Cunha integra este texto na sequência '[CÓDIGO DE INÉRCIA]' (2008: 111-112). Apenas Teresa Sobral Cunha inclui este texto no corpus do "Livro do Desassossego".
Testemunhos

Edições dos Peritos


Edições Virtuais