São tão inferiores as criaturas que se dedicam


São tão inferiores as criaturas que se dedicam a um ideal! Só são superiores aquelas que não se dedicam a ideal nenhum. O homem verdadeiramente superior é aquele que gostaria de ter ideais. Não os pode ter por ser superior a tê-los.

Há nações civilizadas que são selvagens, como, por exemplo, a Alemanha. O espírito de colectividade é uma selvajaria. A única constatação real neste mundo é a da existência do sujeito pensante — cogito ergo sum.

As nações grandes e fracas são as que criam a civilização.

Acredite você, meu caro: só o inferior é que se esforça. Em baixo está quem não se esforça. O superior gostaria de se esforçar mas reconhece a inutilidade do esforço. Toda a superioridade está além e acima do esforço — quer seja inspiração poética, quer seja intuição da acção.

O esforço de um grande jogador de xadrez é maior que o de um Napoleão.


Título: São tão inferiores as criaturas que se dedicam
Heterónimo: Vicente Guedes
Número: 225
Página: 203 - 204
Nota: [138A-25, ms.];
Nota: Apenas Teresa Sobral Cunha inclui este texto no corpus do "Livro do Desassossego". Texto retirado do corpus na edição de 2013.
Testemunhos

Edições dos Peritos


Edições Virtuais