O homem vale aquilo de que se sente semelhante


O homem vale aquilo de que se sente semelhante. Os indivíduos inferiores sentem-se semelhantes da humanidade; o conceito é neles puramente animal, pois nada há de semelhante entre todos os homens senão o facto de serem animais da mesma espécie.

No nível mental logo acima, o indivíduo sente-se semelhante.


Título: O homem vale aquilo de que se sente semelhante
Heterónimo: Vicente Guedes
Número: 230
Página: 205
Nota: [15B(2)-20, dact.];
Nota: Apenas Teresa Sobral Cunha inclui este texto no corpus do "Livro do Desassossego". Texto retirado do corpus na edição de 2013.
Testemunhos

Edições dos Peritos


Edições Virtuais