Nenhum homem é normal


Nenhum homem é normal, impropriamente falando. Normais são os seus actos.

Devemos ir buscar a normalidade aos actos usuais: à arte no artista, às transacções comerciais no comerciante, etc.

Quanto mais íntimo e pessoal um sentimento, menos importa para o normal. Estamos cheios de superstições, religiosidades, esquisitices, mas são pessoais.

Logo que são sociais, exteriores, começa a verdadeira anormalidade.


Título: Nenhum homem é normal
Heterónimo: Vicente Guedes
Número: 238
Página: 207
Nota: [15B(3)-72, ms.];
Nota: Apenas Teresa Sobral Cunha inclui este texto no corpus do "Livro do Desassossego". Texto retirado do corpus na edição de 2013.
Testemunhos

Edições dos Peritos


Edições Virtuais