[Carta a João Gaspar Simões, 28 de Julho de 1932]


                        Apartado 147,
                    Lisboa, 28 de Julho de 1932.

Meu querido Gaspar Simões:

Muito obrigado pela sua carta. Respondo
ainda para Coimbra, visto que ainda não é Agosto, e,
se v. já estiver na Figueira, a carta para lá irá.

Vejo que tenho tempo para enviar colla-
boração para a "Presença". Póde contar com ella.
Mandarei a tal Nota para o Casaes Monteiro (é muito
breve), e enviarei outra collaboração, breve tam-
bem. Conto poder enviar um inedito do Sá-Carneiro.

A propósito da Nota, a observação do
Casaes Monteiro é bem feita. O que houve, porém, da
minha parte foi um lapso de redacção no passo do
Prefacio a que elle se refere. Como está, realmen-
te, está mal, pois se deprehende que a poesia (eu
deveria, antes de mais nada, ter escripto "verso"
ou "fórma poetica" e não "poesia") não é, de facto,
uma simples prosa com pausas artificiaes. O que ha
a fazer, na Nota, é esclarecer isto; e estou deve-
ras grato ao Casaes Monteiro por me dar a opportuni-
dade de fazer esse esclarecimento, aperfeiçoando,
ao mesmo tempo, uma passagem onde a redacção está
muito imperfeita.

Vi, ha já bastantes dias, annunciado no
"Diario da Noite" que a "Seara Nova" ia publicar
uma re-resposta do Sergio, ou seja uma resposta ao
seu artigo da "Presença". Até agora ainda não veio,
isto é, até à ultima "Seara", que comprei ha dias.

Estou começando — lentamente, porque não
é coisa que possa fazer-se com rapidez — a classi-
ficar e rever os meus papeis; isto com o fim de pu-
blicar, para fins do anno em que estamos, um ou
dois livros. Serão provavelmente ambos em verso,
pois não conto poder preparar qualquer outro tam
depressa, entendendo-se preparar de modo a ficar
como eu quero.

Primitivamente, era minha intenção co-
meçar as minhas publicações por trez livros, na
ordem seguinte: (1) "Portugal", que é um livro pe-
queno de poemas (tem 41 ao todo), de que o "Mar


                              28/7/1932 - pag. 2


Portuguez" ("Contemporânea" 4) é a segunda parte;
(2) "Livro do Desasocego" (Bernardo Soares, mas
subsidiariamente, pois que o B. S. não é um hetero-
nymo, mas uma personagem literaria); (3) "Poemas
Completos de Alberto Caeiro" (com o Prefacio de
Ricardo Reis, e, em postfacio, as "Notas para a Re-
cordação" do Alvaro de Campos). Mais tarde, no
outro anno, seguiria, só ou com qualquer outro li-
vro, "Cancioneiro" (ou outro titulo egualmente in-
expressivo), onde reuniria (em "Livros I a III" ou
"I a V") varios dos muitos poemas soltos que te-
nho, e que são por natureza inclassificaveis sal-
vo de essa maneira inexpressiva.

Succede, porém, que o "Livro do Desaso-
cego" tem muita coisa que equilibrar e rever, não
podendo eu calcular, decentemente, que me leve me-
nos de um anno a fazel-o. E, quanto ao Caeiro, es-
tou indeciso. Tambem tem alguma coisa que rever,
mas é pouco. Àparte isso, está, pode dizer-se, com-
pleto, se bem que alguns dos "poemas inconjunctos"
e uma ou outra nota de alterações a fazer nos pri-
meiros ("Guardador de Rebanhos") estejam dispersas
por entre os meus papeis. Achados porém estes ele-
mentos dispersos, o livro póde ser completado ra-
pidamente. Tem uma desvantagem — a quasi impossi-
bilidade de exito, devendo pois ser um livro a pu-
blicar com sacrificio material. O sacrificio ma-
terial depende, é claro, das minhas condições ma-
teriaes de momento. Em todo o caso, nesta revisão
e classificação dos meus papeis, vou achando e
arrumando o que pertence ao Caeiro.

Não sei se alguma vez lhe disse que
os heteronymos (segundo a ultima intenção que for-
mei a respeito d'elles) devem ser por mim publica-
dos sob o meu proprio nome (já é tarde, e portanto
absurdo, para o disfarce absoluto). Formarão uma
série intitulada "Ficções do Interludio", ou outra
coisa qualquer que de melhor me ocorra. Assim, o
titulo do primeiro volume seria, pouco mais ou me-
nos: "Fernando Pessoa — Ficções do Interlúdio —
I. Poemas Completos de Alberto Caeiro (1889-1915)".
E os seguintes do mesmo modo, incluindo um, curio-
so mas muito difficil de escrever, que contém o de-
bate esthetico entre mim, o Ricardo Reis e o Alvaro
de Campos, e talvez, ainda, outros heteronymos,


                              28/7/1932 - pag. 3


pois ainda ha um ou outro (incluindo um astrologo)
para apparecer.

O mais provavel, aliás, com respeito
ao primeiro livro dos heteronymos, é que o faça
conter, não só o Caeiro e as Notas do Alvaro de
Campos, mas tambem uns 3 ou 5 "livros" das "Odes"
do Ricardo Reis. O volume, assim, conterá o es-
sencial para se comprehender o inicio da "escola":
as obras do Mestre e algumas do discipulo directo,
incluindo (nas "Notas") alguma coisa já do outro
discipulo. Ha aqui, ainda, um elemento puramen-
te material que me leva a determinar o volume as-
sim: só com o Caeiro e as Notas, ficaria um livro
nem pequeno (como é o "Portugal") nem de tamanho
normal (300 páginas, pouco mais ou menos), como
o "Cancioneiro". Com a inserção, logica afinal,
como expliquei, do Ricardo Reis, o volume entra
nesta normalidade.

A intenção, possivelmente provisoria,
em que estou agora é de publicar, sendo possivel,
este anno, ou na passagem d'elle para o outro, o
"Portugal" e o "Cancioneiro". O primeiro está qua-
si prompto e é livro que tem possibilidades de e-
xito que nenhum dos outros tem. O segundo está
prompto: basta escolher e collocar.

Como sei que estas coisas o não maçam,
e, em certo modo, tudo isto é uma resposta (bas-
tante longa, aliás) à sua observação sobre quando
é que eu publico, não me cohibi muito em escrever
extensamente.

A par de tudo quanto disse, tenho pro-
[va]velmente uns dois ou trez folhetos ou artigos ex-
tensos a fazer ou completar. O mais provavel é que,
escriptos que sejam em portuguez, os traduza para
inglez e os publique primeiro (naturalmente em
revista) em Inglaterra. Tudo isto, porém, é in-
certo.

Um abraço do seu muito amigo e admira-
dor

Fernando Pessoa.


Identificação: bn-acpc-e-e3-114-2-1-90_0029_15-R0150 | bn-acpc-e-e3-114-2-1-90_0031_16-R0150 | bn-acpc-e-e3-114-2-1-90_0033_17-R0150
Heterónimo: Não atribuído
Formato: Folha (27.5cm X 21.6cm, 27.5cm X 21.6cm, 27.5cm X 21.6cm)
Material: Papel
Colunas: 1
LdoD Mark: Sem marca LdoD
Datiloscrito (black-ink) : Testemunho datiloscrito a tinta preta.
Data: 28-07-1932
Nota: , Carta dirigida a João Gaspar Simões, datada de 28 de julho de 1932, escrita no recto de três folhas. Na edição de Jacinto do Prado Coelho, Maria Aliete Galhoz transcreve excertos desta carta num conjunto de testemunhos iniciais de Fernando Pessoa sobre o "Livro do Desassossego" (1982: XXXV-XLVII). Richard Zenith transcreve excertos desta carta no apêndice "Excertos de algumas cartas", integradas no conjunto intitulado "Escritos de Pessoa relativos ao Livro do Desassossego" (2012: 504-506).
Fac-símiles: BNP/E3, 114(2)-15r-16r-17r.1 , BNP/E3, 114(2)-15r-16r-17r.2 , BNP/E3, 114(2)-15r-16r-17r.3


Edições Virtuais