Receção Crítica - Usa Jacinto do Prado Coelho(408)

Todo exforço, qualquer que seja o fim


L. do D.

Todo exforço, qualquer que seja o fim para que tenda, soffre, ao manifestar-se, os desvios que a vida lhe impõe; torna-se outro exforço, serve outros fins, consumma por vezes o mesmo contrario do que pretendera realizar. Só um baixo fim vale a pena, porque só um baixo fim se pode inteiramente effectuar. Se quero empregar meus exforços para conseguir uma fortuna, poderei em certo modo conseguil-a; o fim é baixo, como todos os fins quantitativos, pessoaes ou não, e é attingivel e verificavel. Mas como hei de effectuar o intento de servir minha patria, ou alargar a cultura humana, ou melhorar a humanidade? Nem posso ter a certeza dos processos, nem a verificação dos fins; (...)