Receção Crítica - Usa (BNP/E3, 7-17)

As miserias de um homem que sente


L. do D.

Uma secção intitulada: Paciencias
(inclue Na Fl do Alh?)
───────────────────────────────────

As miserias de um homem que sente o tedio da vida
do terraço da sua villa rica são uma cousa; são outra
cousa as miserias de quem, como eu, tem que contemplar
a paysagem do meu quarto num 4.º andar da Baixa, e
sem poder esquecer que é ajudante de guarda-livros.
"Tout notaire a rêvé des de sultanes".....

Tenho um prazer intimo, da ironia do ridiculo
immerecido, quando, sem que alguem extranhe, declaro,
nos actos officiaes, em que é preciso dizer a profissão:
empregado no commercio. Não sei como inserto o meu
nome vem assim no Annuario Commercial.

                    ─────
Epigraphe ao Diario:
Guedes (Vicente), emp. no comm., Rua dos Retrozeiros, 17.4.º
                              ANN. COMM. de Portugal.
                    ─────


A mania do absurdo e do paradoxo é a
animal spirits alegria animal dos tristes. Como o homem
normal diz disparates por vitalidade, e por
sangue dá palmadas nas costas de outros, os
incapazes de enthusiasmo e de alegria dão cambalhotas
na intelligencia e, a seu [frio] modo, fazem os gestos [quentes] da
vida.
                    ─────

                  Paciencias

As tias velhas dos que as tiveram, nos serões
a pretroleo das casas vagas na provincia, entretinham
a hora em que a creada dorme ao som crescente
da chaleira com a saudade methodica e reflectida a fazer paciencias com cartas. Tem
saudades em mim d'esse socego inutil alguem
que se colloca no meu logar. Vem o chá e o
baralho velho amontoa-se regular ao canto da meza.
O guarda-louça enorme escurece a sombra, na
sala de jantar apenumbrada. Sua de somno a cara
da creada apressada lentamente por acabar. Vejo isso
tudo em mim com uma angustia e uma saudade
independentes de ter relação com qualquer cousa.
E, sem querer, ponho-me a considerar qual é o stado de
espirito de quem faz paciencias com cartas.