Edição Virtual: Eu nunca fiz senão Sonhar


Editores: Cecília Magalhães, Liliana Vasques

Sinopse: Diário coletivo do espetáculo “Eu nunca fiz senão sonhar”, representação teatral organizada a partir de fragmentos independentes do Livro do Desassossego, de Fernando Pessoa. Para o desenvolvimento da encenação com o grupo Baile Verde será feita uma imersão de três dias no universo dos fragmentos, tendo como ponto de partida o fragmento da edição virtual Arquivo LdoD, “Eu nunca fiz senão sonhar” (BNP/E3, 5-42-43-44.1). No contexto desse fragmento, as categorias semânticas “autoconsciência”, “escrever”, “figuras imaginárias”, “infância”, “memória”, “sonhar”, “vida interior”, “vida exterior”, “xadrez” serão exploradas enquanto motor criativo para a escolha pessoal, por parte dos participantes, de novos fragmentos que sirvam para a construção do texto dramático, assim como para a criação de personagens que dialoguem entre si no palco.

1 Fragmentos: